O outro do outro somos nós

O outro do outro somos nós

Não sei se foi o clima e atmosfera de Sintra, ou se a qualidade do mexilhão, do bacalhau e do vinho que degustamos no Restaurante Bristol, ou as companhias. Uma cliente, seu filho e nora…todos com uma boa veia espiritual. Acho mesmo que foi a soma disto tudo, nesta agradável refeição partilhada.

A conversa versou sobre diversos temas.

Um deles me chamou à atenção. Sobre o esforço que devemos fazer para sermos a melhor versão de nós mesmos, de dar a nossa melhor contribuição a todos e ao planeta e de exercitamos diariamente – a cada momento que se apresente – a nossa compassividade.

Este é o único caminho, se todos entenderem assim. A alternativa a longo prazo é o caos.

A humanidade sofre de um mal que é fruto de uma postura que é justamente o oposto disso. Sermos os melhores para nós próprios, e achando que assim a felicidade vai chegar. No máximo teremos momentos felizes, entrecortados por períodos da mais absoluta infelicidade.

Ao escrever estas notas, me veio a ideia de que a felicidade permanente é a única que vale mesmo a pena perseguir: ela vem de nós e dos outros que olham o outro também com compaixão.

Na mesa, um trocadilho foi dito e bem sintetizou toda a conversa. O outro do outro, somos nós. Esta curta frase não me deixou durante todo o dia, e até mesmo agora ao levantar, nesta linda manhã de sol e frio na Serra de Sintra. Se formos o melhor de nós, seremos o melhor para o outro. E se o outro fizer mesmo, ele será o melhor para nós.

Um jogo poderoso de ganha-ganha, em que todos, exponencialmente, ganharão.

Só assim, evitaremos o nosso caos civilizacional. Só assim teremos uma felicidade duradoura dentro de nós.

 

Aldeia do Penedo, 19nov17

RL

Foto: RL

Vista parcial do Palácio Nacional de Sintra. Ao fundo, o prédio da Câmara de Sintra.

Graduado e Pós-Graduado pela Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, é especialista em Marketing, Estratégia, Modelagem e Estruturação de Negócios, no Brasil e em Portugal, através da B4-Business Solution. Foi professor de Estratégia e Marketing da Universidade de Pernambuco. Luso-brasileiro, vive em Portugal desde 1996. De lá para cá, percorreu cada canto do país, conhecendo e vivenciando tudo aquilo que Portugal oferece de melhor. É apaixonado por este país de uma dimensão cultural muito maior que o seu tamanho geográfico e populacional. É co-fundador e gestor do PortugalSim.

2 thoughts on “O outro do outro somos nós

Deixar uma resposta